31

July

Bem pouquinho

Tenho uma tia que é a generosidade em pessoa. Daquelas que nasceu e cresceu na fazenda onde, vez em quando, as lembranças passeiam. Simples, humilde e vivida ela não mede esforços para ajudar àqueles que ama. Numa dessas visitas aqui em casa reparei que, volta e meia, quando oferecemos para servi-la de algo, ela pede: bem pouquinho. Mesmo que repita o café ou a refeição, ela continua com o seu “bem pouquinho”.

E assim, de pouquinho em pouquinho ela vai provando  refeições diferentes, ás vezes em lugares diferentes quando saímos juntas e vai se atrevendo a enfrentar o desconhecido. Claro que trata-se aqui de um risco pequeno, apenas o de não gostar do sabor oferecido. Mas olhando-a bem, percebi que este é o seu jeito de lidar com este mundo que difere tanto daquele vivido na sua infância. É aos poucos que ela vai se permitindo enfrentar um mundo movido à tecnologia e cada vez mais despreparado para quem não o acompanha. E, através deste seu jeito próprio de lidar com a realidade, ampliei meu olhar sobre a maneira como vamos lidando com aquilo que nos convida a expandir nossas fronteiras, que nos convida a experimentar o novo, independente do tamanho do desafio. É no novo, no desafio, naquilo que nos provoca que a vida estende suas mãos para nós, que o coração bate mais forte e que a gente sente que estamos vivos.

É no passo além daquele que sempre damos que vamos descobrir o quanto aguentamos andar, o quanto podemos melhorar como pessoas, tanto na questão individual quanto social. E há tantas coisas novas a serem experimentadas e redescobertas no nosso jeito de lidar uns com os outros, que a novidade seria nos permitirmos experimentar evoluir de mãos dadas. Este é um desafio que vale a pena, porque muitas vezes é aos poucos que construímos o muito.

A gente bem que podia melhorar nas nossas atitudes e valores uns com os outros, nem que fosse “bem pouquinho”.

Abraço

Fernanda

Share Button

This entry was posted on Sunday, July 31st, 2016 at 10:37 pm and is filed under Uncategorized. Follow the comments through the RSS 2.0 feed. You can post a comment, or leave a trackback.

Leave a Reply