O TRADER EMPREENDEDOR

O trader pode executar a função de operador do mercado ou operar e se desenvolver como empreendedor. É uma escolha nem sempre consciente.  Ás vezes o tempo passa tão rápido quanto uma operação de day-trade e quando se percebe não houve um progresso significativo e/ou lucrativo.

Aprendi errando, claro, que existe o trader que opera o mercado e aquele que pensa o mercado. A diferença é grande.

O trader que opera o mercado busca conhecer e desenvolver um bom setup que seja satisfatoriamente lucrativo, geralmente faz cursos para aprender estratégias para operar diferentes mercados, busca as melhores ferramentas para executar da melhor forma seu trabalho. Preocupa-se com sua curva capital e pode se dar muito bem, obrigada.

E existe o trader empreendedor. Este não opera o mercado. Ele opera oportunidades através do mercado, quando estas estiverem lá. Se não estiverem, ele tem um plano B, C e ás vezes até D. Ele pensou, estudou, conheceu os sinais do “ir em frente”.  Preparou sua mente e sua alma e então tem as ferramentas adequadas para surfar as oportunidades.

Ser um trader empreendedor não é empilhar formalidades, é expandir fronteiras. Fronteiras de pensamento, de postura diante da vida, de hábitos e principalmente de crenças. Na psicologia chamamos de profecias autorrealizáveis. Isso significa que o que se deseja conta pouco, o que vale é aquilo em que se acredita. Essas crenças denunciam seus próximos passos. Nem sempre nos movimentamos em direção aos nossos desejos, mas sempre nos movimentamos em direção àquilo em que acreditamos.

Empreender no trading é aprender a enxergar além do óbvio. É montar um quebra-cabeças e ir juntando cada peça com um objetivo nítido e a alma em sintonia com a conquista, sempre acompanhado pela ética.

O empreendedorismo começa na alma. É possível desenvolvê-lo. Antes de começar aprender por plano de negócio, diário de trades, plataforma, corretora, setups, gerenciamento de risco que são partes muito importantes desse caminho, há um passo antes: o emocional.

A postura de um empreendedor e trader diante dos desafios é de quem aceita deixar acontecer o próprio crescimento e com ele a própria riqueza. A postura de um diretor é diferente da postura de um funcionário. O funcionário pode ser excelente, mas o compromisso com o crescimento da empresa ou de sua riqueza é do dono. Na maioria das vezes, o trader busca lucros para poder construir uma curva capital ascendente e assim, conquistar independência financeira e a tão sonhada liberdade. O objetivo é de certa forma fazer o capital aumentar. Porém o capital sempre tem o nosso tamanho, a quantia que conseguimos lidar.  Não é à toa que muitas pessoas quando conseguem uma alta quantia de dinheiro acabam “perdendo” tudo ou quase tudo, ficando assim com a quantia que seu emocional fica confortável.

O primeiro passo é empreender a própria mente.

Abraço fraterno

Fernanda Nunes Gonçalves

Share Button

Fernanda

Psicóloga Humanista, Escritora e Trader

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *